domingo, 11 de outubro de 2009

A Inauguração foi linda demais!

Ontem, 10 de outubro de 2009, depois que o sol baixou suas quenturas aqui no nosso Seridó bonito de guerra e paz, o Grupo Casarão de Poesia inaugurou a sua sede.

Aconchego e bem querer nesse Casarão!

O Casarão de Poesia e o Ponto de Leitura terão funcionamento de segunda a sexta, manhã, tarde e noite, visando ao alcance de todos aqueles apaixonados pela vida e que desejam enriquecê-la cada vez mais com os frutos que brotam de livros, revistas, violões, imagens múltiplas de um cenário cultural que cremos cada dia mais profícuo nestas terras do Seridó.

Crianças, feliz o dia, que são todos!

O evento de inauguração foi uma lindeza só. Aliás, não havia como ser diferente, porque o Casarão ficou digno de se ver, compondo um inventário imagístico repleto das singularidades de nossa cultura local, atrelada a um universo panorânico de outras culturas, de inúmeras formas de arte.

O Casarão multiplicado em imagens de vida e poesia

Um momento tão especial como esse não poderia ser melhor se não contássemos com a presença de pessoas sensíveis e prontas para a entrega aos encantos da arte, porque um poema bem cerzido só se tece de pleno quando há ouvidos límpidos para ressonâncias de mistérios e repercussões de delícias.


Movimento incessante de vida no Casarão!

Tantas apresentações lindas, tanta gente rimando com o coração essas coisas de se vivenciar com a alma e de se lutar com as mãos, que são a arte e a cultura!


Até o banheiro, inspirador!

A Orquestra de Violões e os alunos do Curso de Violão deram a tônica instrumental ao evento, fazendo florescer levezas no cais sombrio de nossos antigos paralelepípedos; o Grupo Caçuá de Mamulengos e o Cordel do Pau Quebrado somaram forças com uma arte popular torneada de encantos, risos, críticas e belezas no nosso Casarão enfeitado; e o Grupo Brocoió, acompanhado de tantos amigos de poesia e violão, ritmaram as estruturas do bairro, abalos sísmicos nos alicerces do Casarão, tons maciços de azuis pelas ruas, e uma Currais Novos que não será mais a mesma depois desse marco importante para a ressignificação da história da cultura currais-novense.


"A poesia quando chega não respeita nada"


E assim vamos seguindo com a força do lirismo que habita esse Casarão, fundando pedras de escândalos entre cactos e sândalos, afundando barcos sem prumo, tonalizando com lindezas as cores já mui belas do nosso Seridó apaixonante e apaixonado, esse algodão de fibra longa e carinhosa, merecedor de mãos sensíveis para a sua tessitura. Porque "a poesia quando chega não respeita nada". A Poesia chegou com força agora. Ao Casarão!

6 comentários:

Aldenir Dantas disse...

Parabéns!
Uma beleza de grupo, de trabalho, de inauguração...
E como a coisa toda é movida à poesia, vamos a nossa "OFICINA DE POESIAS".
Estamos prontos para começar a partir do dia 06/11.
Grande abraço.

Diego Martín disse...

Super parabéns e "felicitaciones" pelo espaço, o trabalho, a dedicação e o talento. Perdí este encontro, mas recebam minha vontade de estar junto voçês.
Vlw camaradas! Esperando que a próxima oporunidade nos encontre mais cerca.

Theo G. Alves disse...

foi lindo mesmo! é ótimo ver o casarão em toda essa vivacidade e a resposta das pessoas que realmente desejavam algo dessa magnitude. a cultura agradece ao casarão, assim como eu também.

beijo procês!

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Parabéns pelo projeto. Como queria ter uma espaço desse por aqui. Muito sucesso. E muita poesia para todos. Beijo e abraços.

Iara na Janela disse...

Obrigada a todos pela presença e pelo carinho!!!

Vamos ao Casarão!

mariamenina disse...

Foi muito gratificante ter a presença de amigos, artistas e admiradores da arte. Visitem-nos, venham conhecer nosso rico acervo, participem das atividades propostas. aproveitem!!!