segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Im(pressões) Auditivas


Autorretrato com a orelha cortada, de Vincent Van Gogh (1889)

Que vozes são essas
que me interrompem
e rompem
meus minutinhos sagrados?


deus, mãe, monstros?


Suspendem-me
acima dos varais
dos muros, prédios, telhados, luas...

No cimo dos meus olhos cansados
como paralelepípedos
em dias de procissão


Um comentário:

Mulher na Janela disse...

lindo demais esse poema de érica...
nos suspende lúdicos!