terça-feira, 25 de novembro de 2008

SEQUIDÃO

Dali






meu vestido branco

amanheceu manchado de sangue

não sei se eram meus ou teus

os desejos

expostos com uma vermelhidão

tão insana



ontem tomei banho de sol

e de braços nus

abri as janelas

e ofereci-me ao vendedor de pão.



PAULA ÉRICA

7 comentários:

Maria Maria disse...

Muito massa, esse poema!!!! O inesperado me agrada na poesia. Beijos em todos do casarão. O espartilho abre-se para os amantes...

Delia disse...

Que lindo...
as imagens me tomaram.
Paula querida, um beijo enorme.

luma carvalho disse...

lindo poema... lindo mesmo!

beijos na alma
com sabor de " ah... "pé com pé" é lindo demais..."

luciana
luma
lua

J.R. Lima disse...

Muito legal isto!!

este blogue é um achado!!

Um abraço!

Mulher na Janela disse...

esse poema de ériquinha é fantástico!

beijos ao Casarão!

Mary disse...

lindo poema! como tudo aqui neste casarão de poesia! :)

beijoss

GERFERSON NEFTALI disse...

palavra alguma traduz a sensaçao ao ler coisas assim. o melhor é silenciar e curtir.
........

gerferson