terça-feira, 9 de outubro de 2007

GRUPO CASARÃO DE POESIA


Sob o telhado encardido do casarão da universidade, gerações de alunos, amigos e amantes fizeram ecoar palavras, sementes intensas que brotaram de vozes a declamar, aos quatro ventos, a paixão pela Poesia.

Em mágica recordação dos tempos universitários, alguns amigos uniram-se em torno de um ideal: fazer ressurgir a força viva e pulsante da Poesia, que, relegada à poeira das estantes, não mais fazia repercutir, entre os paralelepípedos de Currais Novos, o seu doce devaneio, a sua desafiadora aflição.

Os saraus poéticos foram surgindo espontaneamente... Mas o primeiro momento marcante da Poesia explodindo em nossos poros aconteceu na virada do ano de 2006 quando, reunidos sob a pedra do Cruzeiro, lançamos pedra, parto e poesia às luzes tímidas da cidade de Currais Novos, que se faziam mar em pleno sertão.

Nem sabíamos distinguir a importância daquele momento, a demarcar o início de uma trajetória de sensibilização e multiplicação de sabores e saberes. Mas a semente havia sido plantada. E germinava.

No transcurso de 2006, outros encontros floresceram. A casa dos amigos se transmudava em abrigo de palavras se espalhando pelas paredes, esgueirando-se entre copos de vinho e se eternizando nas cordas dos violões.

Outros lugares também nos foram ninho, como o Espaço Avoante de Cultura, onde, em 25 de novembro daquele ano, à luz de lamparinas, a Poesia foi estrela.

Foi este também o chão de onde brotou o ano de 2007. No Avoante, um ano novo se inaugurou prometendo luz diferente aos nossos olhos, sangue novinho derramado em canções e corações. A esta altura, já éramos conscientes de que a nossa missão ultrapassava as fronteiras da amizade... O nosso amor pela Poesia seria capaz de florescer cactos e enfeitar de sensibilidade esses Currais esquecidos de cultura.

Já estávamos batizados: Grupo Casarão de Poesia. Ana Lúcia Henrique, Elina Carvalho, Gianote Araújo, Iara Carvalho, Luma Carvalho, Paula Érica e Wescley J. Gama. Um grupo prestes a realizar um momento sem precedentes na história da cultura currais-novense. A comemoração do Dia da Poesia, que aconteceu em 24 de março de 2007.
Um momento mágico, de puro deleite poético. Oficinas, mini-cursos, palestras, saraus, músicas, vida pulsando em cada rosto iluminado pelo poder doce e incandioso da palavra, essa pedra de escândalo, esse sonho dos céus.

Após esse instante de epifania completa, várias performances poéticas foram apresentadas, a magia precisava ser partilhada, multiplicada, e, de mãos dadas com a vida, o Grupo Casarão de Poesia segue, somando anseios, incandescendo horizontes, dissolvendo distâncias, apaziguando corações.

A Poesia é nossa arma, calibre grosso, porte de ouro, quinhão de luz brilhando no topo do céu. Compartilhe desse gosto de sonho conosco! Seja mais um verso desse poema sem fim que escrevemos com amor nas páginas dessa cidade, desse mundo.
E viva a Poesia!

9 comentários:

Bosco Sobreira disse...

Parabéns pelo lançamento do blogue!
Fico no aguardo dos poemas e seus poetas.
Um abraço afetuoso a todos, em especial à Poeta das Águas, minha querida Iara Carvalho.
Viva a Poesia. Sempre!

Moacy Cirne disse...

E viva a Poesia produzida no Seridó! Que o novo blogue seja um sucesso... Beijos e abraços para todos.

Tácito disse...

Poetas queridos,
Parabéns pela iniciativa. Botem para moer! (rs) Vamos amiudar os contatos e abrir uma linha direta entre o Casarão e o Substantivo Plural. Hoje mesmo já vou colocar o link de vocês no site. Vida longa ao Casarão.
abs

Anônimo disse...

Maravilhoso amei Meus Parabéns
um abraço a todos.

Gianote Érica de Araujo disse...

Vixe !!! ficou mermo que uma segunda de manhã no beco da troca.

Suely Magna disse...

Ótima a dica do Tácito. "Currais Novos, Luis Carlos, Luis Carlos, Currais Novos... Que venham os poemas, que cantem os poetas e que as vozes vindas do sertão misturem-se a essa maresia. POIS É A POESIA!
Parabéns!

Jeanne Araujo disse...

Parabéns a todos os poetas seridoenses que lutam pela poesia. Continuem fazendo dos dias e noites seridoenses um verdadeiro poema. bjos.

Anônimo disse...

é debaixo das telhas dessa casa, com esses amigos todos que quero beber do melhor vinho, rir e chorar, cantar com as crianças e amar, amar, amar...
É energia pura...
Elina Carvalho

Gabriela disse...

Adorei a apresentação do Grupo Casarão de Poesias, no I Seminário de Turismo do CERES, até então não conhecia o grupo... Muito bom mesmo, vc's estão de parabéns, e merecem todo o sucesso do mundo!!